jeudi 14 mai 2009

Lilases -
de súbito, no square,
a fragrância doce da infância.

Amanhece, no square.
Eu correndo, o melro saltitando
e o gato olhando, incrédulo.

Amanhece, no square.
Eu, o melro, o gato
e a carrinha do pão.

Amanhece, no square.
Eu , o melro, o gato
e o barulho do trolley,
no pavimento.

Amanhece, no square.
Eu, no banco de jardim
e os corredores
que madrugaram.

Tulipas, no square.
Apetece-me beber
uma taça de champagne.

Rue des Patriotes -
estou n'1 tela de Magritte,
a Lua rendilhada pelos ramos da árvore
pendurada n'1 céu azul petróleo.

Avenue du Fléau d'Armes.
Comme ce pays a été marqué
par la guerre!

2 commentaires:

Dinis Lapa a dit…

Para mim é todo ele um poema-haiku. Vários haikus interseccionados criando um haiku-pai. gostei muito. parabéns. *

ma grande folle de soeur a dit…

Obg Dinis pelos teus sempre entusiasmantes comentários. Abraço