vendredi 27 février 2009

nas árvores -
pardais debicam
comida pré-embalada

dia cinzento -
passa uma femme fatale
de óculos escuros

mundo carnavalesco -
ovos de Páscoa
já substituem as máscaras

3 commentaires:

pn a dit…

l'homme pas fatal
qui porte toujours le froid
aux yeux mal bénis

ceux qui sous les tiens
craignent voir le bien
du mal aveuglés

(isto faz algum sentido?!)

ma grande folle de soeur a dit…

confesso q n percebo bem o segundo...
no primeiro suprimiria "pas fatal"; "yeux mal bénis" tb me parece muito conceptual para um haiku... less is more no haiku... suprimir a conceptualização é o lema :)

Dinis Lapa a dit…

É na dicotomia natureza-cidade, e no ajoujar de ambos, que se encontra a estética haiku moderna: tem de ser! Escrever haikus como os japoneses clássicos só é possível se de facto levarmos a vida de haijin, o que não se coaduna com a maioria das nossas vidas. E o zen? tem lugar? sim, porque a transiência das coisas está nas pedras, nas flores e no betão.

estes haikus são contemporâneos, são bons, irónicos. Parabéns.

um abraço