mardi 20 janvier 2009

Haïkaï

No topo do Monte da Lua -
só o nevoeiro
por companhia.


Urzes, silvas e tojos gatunhos
invejam os caminhantes.
Pés na lama!


No Bosque da Branca de Neve -
cedros e sequóias centenários.
Desaparecidos os anões?


No cimo da Penha -
uma águia atenta
apenas ao nevoeiro?


Nem a poltrona florida
sonhava acabar os seus dias
na paragem de Bus!


Na senda da Natureza Morta -
Quy uma folha podrida.
Quy um pau musgoso.



No meio dos detritos -
um personagem hirsuto,
chapéu de abas - o cogumelo!


Rouxinol rouco.
Que cante de novo! -
Pastilhas Drill ou Euphon.



Na orla costeira -
ondas em alerta vermelha.
O vento irado!?


No ar -
não há acordes de jazz,
nem névoa. Só água.



(este último foi retirado de um poema do Fred Matos do blogue nas horas e horas e meias, soou-me a haiku... é do Fred.)

3 commentaires:

Dinis Lapa a dit…

O último é do Fred, mas os outros são teus? Se sim, fiquei surpreendido pela temática e pelo tacto, mais aproximados dos beat-haikus. Mas não me surpreendeu a qualidade.

beijinhos

ma grande folle de soeur a dit…

Sim. Os outros são meuzinhos. :)) E sim, é verdade que estão mais perto do beat-haiku... será q andamos a inverter as nossas tendências temáticas iniciais?! ;))
beijokas

fred a dit…

Surpreso e homenageado, agradeço comovido.
Beijos