jeudi 12 novembre 2009

Tarrafal


Ceci n'est pas une tâche.
C'est un éléphant,
dans ume mare de sang.
Tous les jours,
il agonise dans ma cellule,
depuis 3 ans.
Il n'est pas encore mort,
moi non plus!
Não se trata de uma mancha.
É um elefante,
num charco de sangue.
A cada dia,
agoniza na minha cela,
há já 3 anos.
Ainda não morreu,
nem eu!

3 commentaires:

myra a dit…

belle image, belles parole, j'adore, bises

Dinis Lapa a dit…

Sem ninguém para me traduzir, entendi umas coisas, uma delas que a falha de tinta se parece a um elefante. Gostei do texto, mas não o entendi. Como é isso possível?

beijinhos

ma grande folle de soeur a dit…

Dinis adorei esse teu voto de confiança ;) mas vou traduzir o texto para q entendas totalmente e o contexto é o Tarrafal q visitei e do qual tirei algumas fotos, a partir das quais decidi escrever sobre o lugar semore sob o prisma do que poderia ser a percepção de um prisioneiro... abraço